PORTAL TOPO

Testemunha-chave revela o que provocou acidente com sete mortos na PRC 467

O caminhão carregado com milho escorou no ônibus, afirma o delegado

Por Redação Portal B em 05/05/2022 às 09:40:12
Reprodução

Reprodução

A Polícia Civil continua as investigações sobre o acidente com ônibus que deixou sete pessoas mortas e treze feridas em Marechal Cândido Rondon.

Nesta quarta-feira (04) mais testemunhas foram ouvidas pelo delegado da Polícia Civil, Rodrigo Baptista Santos, que é responsável pelo inquérito.

Um dos depoimentos, apontado como testemunha chave, explicou a dinâmica do acidente.

" Ela afirmou que o caminhão vinha tombando para cima do ônibus, e o ônibus serviu de encosto, anteparo, sendo esse inclusive o motivo de ter milho dentro do ônibus depois do acidente", contou o delegado.

Outra testemunha é o motorista do caminhão de suínos que passou pelo local, no entanto indícios apontam que ele não se envolveu na tragédia.

O ônibus é da Prefeitura de Pato Bragado transportava passageiros para tratamento médico até Toledo e Cascavel. O coletivo desceu uma ribanceira perto do distrito de Iguiporã, no interior de Marechal Cândido Rondon.

O caminhão que se envolveu no acidente não ficou no local e não prestou socorro às vítimas. No entanto o caminhoneiro foi preso algumas horas depois em Mercedes, a 20 quilômetros do acidente.

O motorista segue detido.

Hoje a Justiça de Marechal Cândido Rondon arbitrou em R$ 36.360,00 o valor da fiança para o motorista do caminhão, para que ele possa responder em liberdade pelo acidente na PRC 467.

Em seu despacho o juiz destacou o valor da fiança arbitrada conforme a natureza da infração. Além de pagar o valor de R$ 36.360,00, o motorista investigado tem o compromisso de comparecer a todos os atos processuais que for intimado e não mudar de endereço sem comunicar previamente ao juízo.

O advogado de defesa informou que vai recorrer para diminuir o valor da fiança.

Fonte: Via Portal B / CATVE

Comunicar erro

Comentários

CURTA NOSSA FANPAGE